5 de dezembro de 2015

Jorilda Sabino - A Cinderela Negra

No ano de 1983 quando eu estava iniciando nas corridas de rua conheci Jorilda Sabino, não tive o privilégio de conhece-la pessoalmente mas seu vice campeonato na corrida mais importante do Brasil tornou-a "conhecida mundialmente", e não só pelo resultado em si, mas pela maneira em que conseguiu. Quem poderia imaginar que uma garotinha ainda na adolescência com apenas 13 anos de idade e correndo descalça pudesse realizar tal façanha? E pra calar a boca daqueles ainda incrédulos com o resultado de 83 ela repete o feito no ano seguinte com a mesma garra, determinação e heroicamente, "descalça novamente", tirando qualquer sombra de dúvidas. Como já mencionei em postagens anteriores não tenho intenção de contar toda trajetória dos atletas aqui postados, apenas algumas informações e resultados conquistados enquanto estiveram competindo. Como já disse não tive o privilégio de conhecer pessoalmente a Jorilda e as informações que vou postar aqui são partes de uma maravilhosa entrevista conseguida pelo meu querido amigo Vicent Sobrinho que é jornalista e corredor.


A menina Jorilda foi considerada a mais importante corredora de 10k de rua  – era a 1ª  do Ranking em 1985, por duas vezes Jorilda Sabino foi a primeira brasileira e segunda colocada geral na São Silvestre, perdendo apenas para a  portuguesa, a genial olímpica – Rosa Mota – que entre inúmeros títulos obteve a medalha de bronze nas olimpíadas de Los Angeles e medalha de ouro nas olimpíadas de Seul 1988.  Rosa Mota além de ter vitórias em maratonas internacionais em todos continentes, foi também campeã mundial em Roma 1987 e somou três vitórias em Maratonas de Boston, 87,88 e 90. Foi só para essa Gigante que a então pequena Jorilda Sabino perdeu. É necessário observar que Rosa Mota, 12 anos mais velha e muito experiente, que há um detalhe importantíssimo…. Jorilda tinha apenas 13 anos de idade quando foi a primeira brasileira na São Silvestre em 1983. Naquele ano o campeão tinha sido o mineiro João da Mata, recordou a própria Jorilda durante a entrevista.A aniversariante de hoje – Jorilda Sabino é paranaense nascida em Umuarama, mas, com apenas um ano de idade partiu com sua família para Cuiabá/MT.  Sabino contou que no começo a corrida era a forma que tinha para ocupar suas tardes, e levava o atletismo apenas como brincadeira, como diversão.  Para Jorilda brincar na rua e jogar futebol eram suas brincadeiras de criança, comum nos bairros de Cuiabá, o que já não era tão comum para uma menina correr e jogar bola no eixo Rio-São Paulo.  Talvez por essa razão o aparecimento dessa menina foi um espanto para mídia que ao vê-la largar e correr na frente e às vezes ao lado das favoritas entre elas Rosa Mota. A leveza de Jorilda para a corrida era incrível, seu técnico em apenas seis meses de prática fez com que Jorilda já colecionasse inúmeras vitórias em competições locais.

 Em sua estreia na São Silvestre ao conquistar a colocação de 1ª brasileira logo foi apelidada de “A Cinderela Negra” pela semelhante história das duas princesas que tiveram algo em comum, estavam descalças no momento mais especial de suas vidas.   Muito distante da fábula, Jorilda Sabino corria na mais paulista das Avenidas no último dia de 1983, na noite de São Silvestre o palco que a então menina Jorilda – criança de apenas 13 anos não se impressionou nem com o tamanho da cidade, pois para ela tudo parecia uma brincadeira, e nem se assustava com todo aquele tumulto de pessoas. E como qualquer inscrito na maior prova do Brasil,  ao ouvir o tiro de largada partiu pequenina Jorilda que logo em suas primeiras passadas perdia-se no meio da multidão . . .

Desprezando o impossível… Descalça ela partiu . . .

Jorilda era uma garota miúda e de fragilidade maior ainda se fosse comparada com qualquer uma de suas rivais – E lá estava ela largando ao lado da então bi-campeã da São Silvestre.  A menina partiu com seus pés descalços ao lado da portuguesa que já era bi-campeã da São Silvestre. Por isso ela surpreendeu o Brasil superando todas brasileiras, pois, correu o tempo todo no grupo de elite até sagrar-se primeira brasileira e vice-campeã – um verdadeiro presente a todos naquele réveillon de 1983 e veio repetir a façanha novamente em 1984. Após essas conquistas e a bela estréia Jorilda por uma década fez carreira vitoriosa inclusive conhecendo países distantes como Coréia, Japão e África do Sul.

* Na São Silvestre a sua principal rival foi uma das maiores corredoras do século, a portuguesa Rosa Mota, essa portuguesa venceu por mais cinco vezes a São Silvestre, em 8 anos, Rosa só perdeu a edição de 87 e retornou em 88 para somar 7 vitórias.


Como está Jorilda hoje?
Atualmente no penúltimo ano da Faculdade de Educação física a noite, é casada e tem duas filhas, Elizabeth tem 21 anos e Samantha de 24 anos que também é casada e espera o primeiro filho para fevereiro de 2014.


E a São Silvestre. Você tem saudades? Gostaria de ser lembrada ou homenageada pela organização? “Tenho boas lembranças da São Silvestre e foi por causa dela que tive o reconhecimento do governo do Estado do Mato Grosso que me deu uma casa confortável para a minha família, pois, éramos muito pobres e morávamos em uma casa muito precária.  Os resultados que obtive na São Silvestre que possibilitaram a melhoria na vida da minha família. Seria uma honra ser homenageada pela organização da corrida”.
Por isso tudo… caro leitor. Deixe aqui os seus Parabéns a JORILDA.  Afinal ela merece!”
Postado em: HISTORIA DA CORRIDA DE RUA, PERFIL, PERSONAGENS por Vicent Sobrinho.
Como todos puderam ver são partes de uma belíssima entrevista, agradeço de coração ao meu amigo Vicent Sobrinho pelo brilhante trabalho, a entrevista completa pode ser encontrada na edição de nº 265 da revista Contra Relógio no mês de outubro do ano de 2013.  



Nenhum comentário:

Postar um comentário